Arquivos

Como funciona a correção de provas de concursos?

Quem presta concursos públicos sabe que conhecer bem a prova é uma etapa essencial para ter um bom desempenho. Esse processo envolve verificar o conteúdo programático, o tempo máximo para concluir a avaliação e a quantidade e o formato das questões (múltipla escolha, verdadeiro ou falso, dissertativa, entre outros).

Uma vez levantadas essas informações, é preciso reconhecer quais temas precisam de um estudo mais aprofundado ou são mais difíceis para o candidato e exigem mais tempo para serem vistos. E criar estratégias de estudo para se preparar bem.

Outra questão recorrente para quem presta esses concursos é entender como funciona a correção das provas. Antes de conferir o gabarito PC DF, saiba como as correções de provas ocorrem!

Elaboração de questões

O primeiro passo da preparação de uma prova de concurso é definir quais temas devem ser estudados pelos candidatos. Esses assuntos devem ser publicados em um edital pelo menos oito semanas antes da prova.

Vale dizer que o nível de dificuldade depende da quantidade de inscritos previstos. Cargos muito disputados possuem questões mais difíceis para eliminar mais candidatos.

Em seguida, são definidos o formato das questões, o tempo máximo de prova e o nível de escolaridade mínimo dos candidatos.

Após essa etapa, bancas de especialistas das áreas dos conteúdos que serão exigidos elaboram as questões, que devem ser sempre inéditas, exclusivas e mantidas sob sigilo. Após serem revisadas, as questões das diferentes bancas são misturadas virtualmente e selecionadas por um software que obedece regras estabelecidas previamente pelos organizadores da prova.

Leitura ótica

Após a realização das provas pelos candidatos, as folhas de respostas são colocadas em um leitor ótico, que é responsável por conferir as questões de múltipla escolha e indicar o número de acertos de cada candidato. Quem ficou com acertos abaixo da nota de aprovação já é automaticamente desclassificado.

Além de agilizar enormemente o processo de correção, outra vantagem do leitor ótico é separar as folhas de resposta por grupos, o que reduz as chances dos candidatos colarem, já que os organizadores também definem quais serão os lugares de cada candidato e deixam participantes com o mesmo tipo de prova distantes na sala de aula.

Ainda, a folha de resposta contendo os dados pessoais do candidato também possui um QR Code para realizar auditoria do processo se houver a perda do documento em alguma etapa. Uma vez que as provas foram conferidas, as notas já são lançadas automaticamente no sistema, que vai organizar a classificação final dos candidatos.

E as questões dissertativas?

Esse tipo de questão é corrigido no local de realização da prova por especialistas de cada área e é um processo mais complexo e demorado, já que envolve interpretação de texto e muitas vezes não tem uma única resposta certa possível.

Antes de iniciar a correção, a banca define quais serão os critérios utilizados e o enfoque que as respostas devem ter. Isso permite que as regras de impessoalidade sejam atendidas.

As questões dissertativas são corrigidas por pelo menos três avaliadores. Se houver muita divergência, mais avaliadores são acionados. Se o candidato se sentir lesionado pelo processo de correção, ele pode acionar a banca juridicamente.

Na maioria das vezes, a correção das provas e a publicação da classificação oficial demora mais de um mês. Esse tempo é ainda maior se o concurso exigir outros tipos de prova, como avaliação de saúde, psicotécnico, teste físico, provas de títulos, entre outros.

Conhecer bem a prova antes de realizá-la é fundamental para pessoas que sonham em trabalhar no serviço público. Preparação física para aguentar permanecer sentado e concentrado durante horas, além de um estudo planejado de acordo com a taxa de incidência dos temas, são algumas estratégias fundamentais para obter a aprovação.

Gostou de mais um de nossos artigos? Então não deixe de compartilha-lo em suas redes sociais!