Arquivos

Principais linhas de crédito para empresas

O empreendedor que deseja impulsionar o seu negócio, sobretudo se está enquadrado em uma micro, pequena e média empresa, sabe que ter um crédito extra é fundamental para se estabelecer no mercado. Justamente com o intuito de impulsionar esses empreendimentos para que eles possam sobreviver e crescer, existe uma diversidade de opções de linhas de crédito que ele pode recorrer.

Assim, é importante conhecer as características das principais modalidades disponíveis. Confira o texto abaixo para entender mais sobre como elas podem beneficiar o seu empreendimento.

Empréstimo de uso livre

O empreendedor que necessita de dinheiro para impulsionar o seu negócio pode encontrar uma boa saída com os empréstimos de uso livre. Créditos dessa natureza, que apresentam alguma garantia de imóvel, costumam ter uma taxa de juros mais baixa em relação aos empréstimos pessoais e outros empresariais, além de ter maior tempo para acertar a dívida.

Outra vantagem dessa categoria é que o uso do dinheiro é livre. Assim, o empreendedor pode decidir se o usa para pagar dívidas, aumentar o seu pessoal ou realizar investimento em equipamentos. Além do imóvel, também é possível oferecer um automóvel como garantia, mas o empreendedor deve sempre prestar atenção nas taxas cobradas, valores oferecidos e demais condições de contratação.

Antecipação de recebíveis

Esta é uma modalidade de crédito indicada para empresas que precisam antecipar valores que têm a receber, utilizando esse crédito para pagar as contas de curto prazo. Com esta linha de crédito, o empreendedor fica comprometido apenas com o valor que há previsão de receber, evitando assim uma nova dívida.

As empresas operadoras de máquinas de cartão são exemplos de quem oferece esse tipo de antecipação, com a possibilidade de oferecer descontos ou mesmo zerar a taxa de juros cobrada. Para que o valor emprestado seja o suficiente para cobrir os gastos, é necessário que o empreendimento tenha um fluxo de caixa organizado, com o intuito de não prejudicar o planejamento de longo prazo.

Microcrédito

Esta é uma solução que ajuda bastante pequenos empreendedores, trabalhadores informais e MEIs, sendo considerada uma mobilidade de incentivo. Nela, os empréstimos sempre envolvem valores mais baixos  do que de outras modalidades, com um tempo menor para o prazo de pagamento, mas também com juros mais baixos.

Uma regra importante é que o dinheiro obtido nessa linha de crédito deve ser investido necessariamente na empresa. Esta é uma opção disponível em bancos, agências de fomento e pelo BNDES, com juro máximo de 4% ao mês.

Crédito para capital de giro

Essa opção de linha de crédito, disponível em bancos como Banco do Brasil e Caixa, costuma ajudar bastante os negociantes. Vários empreendimentos precisam ter dinheiro para pagamentos essenciais da operação de um negócio, como contas dos fornecedores e pagamento dos salários da equipe.

Assim, essa é uma alternativa interessante, que oferece prazos variáveis para quitação da dívida, com uma taxa de juros que varia entre 0,80% e 1,59% ao mês. Também é possível aproveitar essa opção com agências de fomento, caso do Fomento Paraná e Desenvolve São Paulo. Nesse caso, as taxas são mais atrativas, mas o limite de crédito é menor, assim como o prazo de pagamento.

Linhas especiais do BNDES

O principal objetivo do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) é auxiliar pequenas e médias empresas, com o repasse de valores liberados pelo governo federal. O BNDES trabalha com três linhas de crédito: uma para a suspensão de pagamentos, outra para folha de pagamento e uma última para crédito de pequenos e médios empreendimentos.

A primeira categoria vale para créditos já correntes com o BNDES, com o adiamento da amortização por um período de até seis meses. A segunda modalidade permite que o empreendedor financie até dois meses dos seus gastos com o pessoal, oferecendo, em contrapartida, a segurança dos empregos dos trabalhadores.

Por fim, a linha de crédito para pequenas e médias empresas tem foco em capital de giro, oferecendo uma taxa de juros que, na média, alcança 15% ao ano.

Gostou do artigo? Então não deixe de acompanhar as nossas matérias!